Estudos do mês de Julho/2013

ESTUDOS SOBRE “A HERANÇA” E “A ESTRUTUTRA DA FÉ”
MES DE JULHO/2013

ESTUDOS BIBLICOS PARA JOVENS E OBREIROS – 13/jul/13
– ASSUNTO: O valor da herança
– TEXTO FUNDAMENTAL: I Reis 21:1-3

Em I Reis 21:1-3, vemos a insistência do rei Acabe em negociar a vinha de Nabote, usando argumentos para convencê-lo.

ATIVIDADE:
Fazer o comentário e a aplicação profética da recusa de Nabote aos seguintes argumentos do rei:
– “…me sirva de horta…”
– “…pois está vizinha…”
(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

Significado da palavra ARGUMENTO: raciocínio pelo qual se chega a uma conclusão ou um objetivo.

INTRODUÇÃO

A vinha de Nabote, que ele recebera de seus pais como herança, representava para ele o BEM MAIOR da sua vida. Todavia, dois inimigos daquela herança, o rei Acabe e a rainha Jezabel, reuniram seus esforços para tomá-la de Nabote. O rei vai usar 4 fortes argumentos para conseguir seus maus intentos com a vinha. Estaremos analisando neste estudo os dois primeiros argumentos usados pelo rei Acabe.

ARGUMENTO DO REI ACABE: – “…me sirva de horta…”

Ao usar a expressão “dá-me tua vinha para que me sirva de horta”, o rei Acabe queria transformar aquilo que era uma única cultura de caráter permanente, em várias culturas de caráter provisório. A horta é passageira. Ela dilui a herança. É uma cultura de vários frutos que são as hortaliças. Possui raízes na superfície.

APLICAÇÃO PROFÉTICA

O objetivo maior do adversário é frustrar no homem o projeto da salvação, trocando os valores espirituais que são eternos, pelos valores materiais que são terrenos e passageiros.
Quer inverter os valores da nossa vida. Fazer o material dominar o espiritual.
O que vale mais para você, o material ou o espiritual? O homem tem a tendência de se voltar muito para aquilo que é material esquecendo o espiritual.
Os projetos do homem são passageiros e diluem a benção do Senhor. Projetos humanos não possuem profundidade, pois são superficiais. São projetos que levam o homem a enxergar apenas em direção àquilo que é terreno. Os frutos da horta são colhidos no nível do chão, enquanto o fruto da vinha é colhido no alto.
O cultivo de uma horta é feito com as mãos em contato com o chão, inclinando-se para baixo e olhando sempre para a terra. O adversário quer que o homem venha se encurvar diante das coisas terrenas para perder a visão da eternidade, querendo dar ao homem a oportunidade de experimentar várias coisas para tirar o sabor doce do Espírito Santo de nossas vidas. (um grupo de estudo)
A videira é uma planta que, se cuidar bem dela, nunca deixa de dar fruto e não precisa ser cortada para se colher o seu fruto. Assim é a benção do Espírito Santo no nosso meio, nunca deixa de produzir frutos e sempre se renova em nossas vidas. (outro grupo de estudo)
O que incomodava o rei Acabe na vinha de Nabote é que ela produzia o vinho. Também o que incomoda ao adversário é a bênção do Espírito Santo na vida do servo.

ARGUMENTO DO REI ACABE: – “…pois está vizinha…”

A expressão do argumento do rei Acabe “pois está vizinha ao pé (junto) da minha casa”, era, sem duvida, um forte argumento, pois sendo vizinho, julgava-se no direito de tomar a vinha de Nabote, visto estar mais próximo, ao lado, e vivendo quase junto com Nabote.

APLICAÇÃO PROFÉTICA

Os inimigos da herança estão bem perto de nós. O vizinho é aquele que está mais próximo de nós, vive conosco, está ao nosso lado. O rei Acabe é figura da ação do nosso adversário que “anda em derredor buscando a quem possa tragar”.
Vivemos hoje um mundo de envolvimento onde as informações influenciam a forma de vida e a conduta das pessoas. As pessoas hoje fazem tudo para influenciarem os outros com seus argumentos para convencê-los com suas propostas.
A Mídia, hoje, é que influencia os padrões sociais, estabelece os mitos na sociedade, dita as necessidades do homem e oferece soluções na vida do homem que está na dependência dos meios de comunicação. É preciso saber usar isso para que a herança não seja tomada.
Sendo vizinho, o rei se julga no direito de levantar todo o tipo de insinuação. “Você não usa? Você não faz? Você não se mistura” – “Afinal somos todos iguais”. “Sou seu vizinho”. “Vamos dar as mãos, pois somos todos filhos do mesmo Deus”. Esse argumento é para você achar que a vinha e a horta são a mesma coisa.
Esse é o argumento de quem procura se associar ao servo para destruir o que é profético em sua vida, através da mescla, do ecumenismo a fim de matar sua vida espiritual. (um grupo de estudo)

TESTEMUNHOS DE ESCOLHA ENTRE A VINHA E UMA HORTA:
TAREFA PARA OS JOVENS E OBREIROS (a serem levadas pelos professores de jovens ou diáconos responsáveis ou mesmo pelo pastor para a reunião)

1. Citar exemplos na Bíblia de servos de Deus, além de Nabote, que escolheram a benção do Senhor deixando escolhas de bens materiais.
2. Contar um testemunho de alguém que você conheça, que não trocou o bem espiritual pelo material, ainda que sofrendo duras contrariedades. Pode ser até a sua própria experiência.

APRESENTAMOS AQUI DOIS: testemunho de um pastor nosso que escolheu entrar para a reserva (aposentadoria militar) na penúltima graduação da Força Armada que servia para não ser promovido para a mais alta patente, visto que assim não poderia continuar sendo pastor. O Senhor o recompensou grandemente na vida militar.
Testemunho da jovem serva com relação ao namorado não crente, quando ele lhe disse: “ou você abandona essa igreja ou o nosso namoro termina aqui”. Ela escolheu o Senhor e isso resultou na conversão dele mais tarde.

Pode-se encerrar aqui enquanto estiverem fazendo esta tarefa, os créditos podem estar passando na tela e ao final a vinheta de encerramento.

Sugestões de mensagem no site: www.satelitemaranata.com.br

20/jul/13 – ESTUDOS BIBLICOS PARA JOVENS E OBREIROS
– ASSUNTO: A Fé, como o grão de mostarda
– TEXTO FUNDAMENTAL: Mateus 13:31-32

Em Mateus 13:31-32, o Senhor Jesus fala de duas estruturas de fé: uma na figura de uma semente e outra na figura de uma grande árvore.

ATIVIDADES:

É possível identificar a Obra de Deus e do homem nas estruturas de fé referidas na parábola?
Fazer a aplicação profética.

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)

RESPOSTA: Sim, é possível.

INTRODUÇÃO

O Senhor Jesus, em Mateus 17:20, usa a figura do grão (ou semente) de mostarda para falar sobre a fé. Portanto, a semente (ou grão) fala figuradamente da fé.
Nas sete parábolas do Capitulo 13 de Mateus, o Senhor Jesus fala profeticamente sobre o Reno de Deus que iria ser estabelecido na igreja ao longo da existência dela. Em cada uma delas o Senhor deixa sempre o ensino acerca de duas estruturas de fé que correm paralelamente opondo-se (ou contrastando-se) uma à outra.
Na primeira, três diferentes terrenos se opõem à boa semente, na segunda o joio se opõe ao trigo e na terceira a estrutura da grande árvore contrasta com a estrutura da semente, no caso, o grão de mostarda.
Mais adiante a simplicidade de 3 medidas de farinha é contrastada pela aparência de uma massa levedada pelo fermento de uma mulher, como também o campo do interesse do homem oferece contraste ao tesouro, ocultando-o aos olhos de todos. Depois, um punhado de pérolas sem valor contrasta também com a pérola de grande preço e, por fim, os peixes bons recolhidos no cesto são contrastados pelos peixes ruins lançados fora na areia da praia do mar.
Enfim, as sete parábolas do Reino, de Mateus 13, são “a história profética da igreja”.

DUAS ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DE UMA SEMENTE E OUTRA NA FIGURA DE UMA GRANDE ÁRVORE.

O grão de mostarda, apesar de ser uma semente tão pequena, quase imperceptível, tem no seu interior uma vida latente que é um mistério, capaz de se tornar um grande arbusto. E para que isto aconteça é necessário que a semente morra.
Assim é a fé, tão pequena e intrínseca, mas que quando se exterioriza ela morre. A semente é uma concentração de vida interior. Assim é a estrutura da Obra do Espírito Santo: uma fé de estrutura interior.
Todavia, embora seja um processo natural, para dar lugar ao surgimento de uma estrutura de uma grande árvore, na qual se aninham as aves dos céus, ocorre a morte da semente. Assim é a estrutura da obra do homem: uma fé exterior, resultado da morte de uma fé interior.
E quando isso ocorre? Quando o homem pega da semente (o grão de mostarda, ou seja, a fé) e lança-a no seu campo, ou seja, no campo do seu interesse.

IDENTIFICANDO A DIFERENÇA ENTRE AS DUAS ESTRUTURAS DE FÉ:

A SEMENTE (OBRA DE DEUS)

UMA GRANDE ÁRVORE (OBRA DO HOMEM)

Vida interior (latente)

Vida exterior

Concentração de vida interior

Resultado da morte da semente

Sem aparência

Aparência Exterior

O governo é de Deus

O governo é do homem

Atrai o interesse espiritual

Atrai os interesses materiais

Resultado do plantio no campo do interesse pela benção do Senhor

Resultado do plantio no campo do interesse pela promoção do homem

APLICAÇÃO PROFÉTICA

Identificar a Obra de Deus e do homem nas estruturas de fé referidas na parábola

É natural que o entendimento literal e até lógico da parábola leve à compreensão racional do seu sentido. Porém olhando para o entendimento profético da parábola, o que nos chama a atenção é o fato de o homem pegar do grão e lançar no seu campo o que leva a semente a morrer e em seu lugar surgir uma estrutura, mas de natureza contrastante. O profético não obedece à lógica, pois esta pertence ao raciocínio do homem.
A Obra do homem consiste sempre em querer transformar a Obra de Deus, simples e cheia de vida em coisa exterior, morta, onde o seu campo é traduzido pelos seus interesses, pela carne, pela vontade própria, pela desobediência, pela cultura, a mentira, a aparência, a simples religiosidade, os ritos, as liturgias de culto, etc.

UMA QUESTÃO A SER RESPONDIDA:

Quando lança mão da fé para plantá-la no campo do seu interesse, o anseio do homem é:
– ver a sua própria promoção, (__) ou ver a promoção do Senhor?(__)
– é liderar (__) ou ser liderado pelo Senhor?(__)
– fazer crescer a sua própria Organização (__) ou fazer crescer a Obra do Senhor?(__)
Aquilo que é intrínseco (próprio) numa estrutura de fé interior, quando morre, ou seja, quando deixa de existir, passa a se exteriorizar, dando lugar a uma estrutura de fé apenas de paramentos e de aparência.

OUTRA QUESTÃO A SER RESPONDIDA:

Uma fé de aparência exterior você pode definir como:
– TEÓRICA ou prática?
– ALIENADA ou com envolvimento?
– INTELECTUAL ou espiritual?
– RACIONAL ou revelada?
A partir do entendimento de uma fé apenas de aparência exterior, essa fé passa a ser teórica, alienada, intelectual, racionalista, preparando o homem e toda a sua religiosidade para defender os interesses do anti-Cristo que se identificará nos fins dos tempos.
O que acontece quando a fé se exterioriza? Resposta: A experiência com o Senhor fica dispersa. O homem passa a não depender mais do Espirito Santo. A partir daí a fé se torna filosófica.
Ora, se Jesus não se revelar, a fé se torna apenas teórica e reflete visivelmente o resultado dos interesses investidos nela. Esses interesses estão prefigurados, na parábola, na figura das aves que se aninham nos ramos da árvore para retirar seus frutos. São os interesses materiais, terrenos, temporais e próprios da vaidade do homem que se assenhoreia da Obra de Deus como se fosse sua. Aí a igreja se torna uma Ideologia de Poder Eclesiástico. A igreja fiel de Jesus nunca desejou se tornar uma ideologia de poder eclesiástico.
É natural que uma árvore deva abrigar ninhos, porém devemos convir que a árvore é para dar frutos e não criar (abrigar) passarinhos que destroem e aniquilam os frutos.
Por causa disso, a obra do homem sempre estará em oposição à Obra de Deus.

SUGESTÃO DE MENSAGEM:

DUAS ESTRUTURAS DE FÉ OPOSTAS NO VELHO TESTAMENTO

Gênesis 13:11 – “Então, Ló escolheu para si toda a campina do Jordão e partiu Ló para o Oriente; e apartaram-se um do outro”.
FÉ INTERIOR: Abraão X FÉ EXTERIOR: Ló.
A ESCOLHA DE LÓ: critério da vista dos olhos: as campinas de Sodoma
A ESCOLHA DE ABRAÃO: critério da fé: o alto dos montes, uma visão sem limites.
OS RESULTADOS: Ló foi parar em Sodoma, enquanto a Abraão Deus mostrou uma descendência como o pó da terra (Gn. 13:16) e como as estrelas dos céus (Gn.15:5).

Você consegue encontrar no Velho Testamento alguma estrutura de fé de aparência exterior e promovida pelo homem? É só citar o fato. Pelo menos três,
1. A Torre de Babel – Gen. 11:4
2. O Reinado de Saul – I Samuel
3. A grande árvore de Daniel 4:10-12

ESTUDOS A SEREM ENTREGUES PELOS PASTORES NO ULTIMO FIM DE SEMANA DE JULHO:

    1. A HERANÇA (NABOTE)
    – 27-jul-2013 – EBJO – (Aula dada no Seminário Especial de Jovens)

Top
Leia o post anterior:
Estudos do mês de Julho/2013

ESTUDOS SOBRE "A HERANÇA" E "A ESTRUTUTRA DA FÉ" MÊS DE JULHO/2013 14/jul/13 – ESTUDOS BÍBLICOS PARA EBD - ASSUNTO:...

Fechar