Resumo para os Professores de Jovens – 10/08/2013

IGREJA CRISTÃ MARANATA – PRESBITÉRIO ESPÍRITO SANTENSE

PALAVRA AO PROFESSOR DE JOVEM
ESTUDOS BIBLICOS PARA JOVENS E OBREIROS – 10/ago/13
​- ASSUNTO: A FÉ NA PARÁBOLA DO SEMEADOR
​- TEXTO FUNDAMENTAL: MATEUS 13:3-8 e 18-23

EM MATEUS 13:3-8, O SENHOR JESUS FALA DE DUAS DIFERENTES ESTRUTURAS DE FÉ: UMA NA FIGURA DA BOA SEMENTE E OUTRA NA FIGURA DE 3 TIPOS DE TERRA QUE NÃO PRODUZEM RESULTADO NA SEMEADURA.

ATIVIDADES:

    1. IDENTIFICAR A OBRA DO HOMEM EM OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS NAS SEGUINTES FIGURAS:

“…AO PÉ DO CAMINHO…”
“…EM PEDREGAIS…”
“…ENTRE ESPINHOS…”

    2. FAZER A APLICAÇÃO PROFÉTICA

(Os textos usados neste estudo foram extraídos da Tradução de João Ferreira de Almeida, Edição Revista e Corrigida, versão 1995)
===================================================================

INTRODUÇÃO
O Senhor Jesus, em Mateus 17:20, usa a figura do grão (ou semente) de mostarda para falar sobre a fé. Portanto, a semente (ou grão) fala figuradamente da fé.
Nas sete parábolas do Capitulo 13 de Mateus, o Senhor Jesus fala profeticamente sobre o Reno de Deus que iria serestabelecido na igreja ao longo da existencia dela. Em cada uma delas o Senhor deixa sempre o ensino acerca de duas estruturas de fé que correm paralelamente opondo-se (ou contrastando-se) uma à outra.
Na primeira, três diferentes terrenos se opõem à boa semente, na segunda o joio se opõe ao trigo e na terceira a estrutura da grande árvore contrasta com a estrutura da semente, no caso, o grão de mostarda.

Mais adiante a simplicidade de 3 medidas de farinha écontrastada pela aparência de uma massa levedada pelo fermento de uma mulher, como também o campo do interesse do homem oferece contraste ao tesouro, ocultando-o aos olhos de todos. Depois, um punhado de pérolas sem valor contrasta também com a pérola de grande preço e, por fim, os peixes bons recolhidos no cesto são constrastatos pelos peixes ruinslançados fora na areia da praia do mar.
Enfim, as sete parábolas do Reino, de Mateus 13, contam“a história profética da igreja”.

DUAS DIFERENTES ESTRUTURAS DE FÉ:

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: BOA SEMENTE= A OBRA DE DEUS
Mateus 13:3 – (JFA-ERC-1995)
“E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.”
Mateus 13:24 – (JFA-ERC-1995)
“…O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo”
Mateus 13:18 – (JFA-ERC-1995)
“Escutai vós, pois, a parábola do semeador”.

O semeador saia ao campo para semear a sua semente no inicio do dia levando consigo os melhores grãos escolhidos (a boa semente) para que produzisse os melhores frutos. A expressão “boa semente” é encontrada no verso 24.

APLICAÇÃO PROFÉTICA
Da mesma forma o Reino de Deus no meio da Igreja começou com o trabalho da semeadura da Palavra já no Pentecostes (Atos 2), quando a melhor semente que foi uma mensagem profética entregue por Pedro produziu os bons frutos de salvação para 3 mil almas que ali se renderam ao Senhor Jesus, aceitando a semente da Palavra nos seus corações. A semente é a Palavra e a Palavra é Jesus. Assim é a Obra de Deus.

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: TERRA AO PÉ DO CAMINHO = OBRA DE OPOSIÇÃO A DEUS
Mateus 13:4 – (JFA-ERC-1995)
“E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na;”
Mateus 13:19 – (JFA-ERC-1995)
“Ouvindo alguém a palavra do Reino e não a entendendo, vem o maligno e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho;”

A primeira parte da semente encontra uma terra que fica ao pé do caminho, ou seja, à beira do caminho e por não ter penetrado na terra, as aves comeram a semente. Não entender a palavra do Reino (vs. 19) é uma oposição ou recusa ao plantio da boa semente e isso ocorre numa terra de beira de caminho. As terras de beira de caminho são geralmente duras e soladas pelas pisadas de quem passa pelo caminho. A semente não penetra em terra dura, mas fica exposta às aves.

APLICAÇÃO PROFÉTICA
O Caminho é Jesus. Estar ao pé do caminho é estar fora do caminho, arredio ao caminho, enfim, é não andar no caminho. Isso gera dureza no coração, que é a incredulidade. A ação do maligno consiste em arrebatar a Palavra (a boa semente) do coração daquele que está à beira do caminho, mas não no caminho, que é Jesus. Esta é a figura do mau crente, pois fica à beira do caminho. A semente não penetrou na terrado seu coração, por ser terra dura (incredulidade, rejeição).Isso é uma estrutura de fé que se opõe à fé verdadeira: uma fé baseada num evangelho sem profundidade, na superficialidade da vida espiritual. O crente que não vive o evangelho genuínoe, assim, o falso crente torna-se presa fácil do inimigo. Assim é a obra do homem em oposição à Obra de Deus

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: TERRA DE PEDREGAIS = OBRA DE OPOSIÇÃO A DEUS
Mateus 13:5-6 – (JFA-ERC-1995)
“E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.”
Mateus 13:20-21 – (JFA-ERC-1995)
“porém o que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; mas não tem raiz em si mesmo; antes, é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição por causa da palavra, logo se ofende;”

Nesta parte da semeadura a semente penetrou na terra, germinou e logo nasceu, mas os pedregais se constituiram um obstáculo para o crescimento da planta, pois não tinha raíz e, por isso queimou-se e secou-se sob a ação do sol.

APLICAÇÃO PROFÉTICA
Outro tipo de crente está representado aqui na parábolapelo terreno de pouca terra, pouca profundidade. Uma esttrutura de fé assim se opõe à fé verdadeira, pois ela cria ocrente de pouca consistência ou de pouca estrutura, sem condições de suportar as lutas, mal formado, não suporta as provas, o valor da luta lhe faz murchar. As pedras (PEDREGAIS) não lhe agradam, isto é, a realidade da vida cristã de santificação é para ele muito dura.
Isso está relacionado ao falso cristianismo, teórico, horizontal, alienado, sem frutos, murcho, sem vida ou morrendo, contanto que lhe satisfaça a carne. É a estrutura de fé que cria a figura do crente que hoje está cheio de religiosidade e formalismo religioso, mas sem vida. Crente que não tem estrutura de vida espiritual. Vive só de animação. Brota rápido, mas não cresce.
É chamada salvação teológica ou intelectual que lhe propicia uma situação humanamente cômoda, porém perigosa espiritualmente. Viver uma fé assim é viver uma falsa doutrina oriunda da acomodação espiritual onde se prega filosofia de vida e não forma de vida.
Uma fé assim cria uma falsa doutrina que agrada os fracos e estimula o culto à própria personalidade, tornando o homem por demais sensível e intocável, quase sempre dependente das experiencias dos outros, pois não tem a sua própria experiencia com Deus. Assim é a obra do homem em oposição à Obra de Deus.

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: TERRA DE ESPINHEIROS = OBRA DE OPOSIÇÃO A DEUS
Mateus 13:7 – (JFA-ERC-1995)
“E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.”
Mateus 13:22 – (JFA-ERC-1995)
“e o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera;”
Nesta parte da semeadura a semente penetrou na terra, germinou, nasceu e até cresceu, mas os espinhos cresceram junto com a planta e a sufocaram.

APLICAÇÃO PROFÉTICA
Tendo sido lançada entre espinhos, a reação do inimigo foi imediata, sufocando a planta. Os espinhos estão relacionados aos enganos do pecado e da falsa doutrina. É com esse inimigo que a igreja luta; sedução, riquezas, cuidados com o mundo, que são as formas mais usadas para enganar o convertido. Uma estrutura de fé assim se apõe à fé verdadeira, pois mistura aquilo que é santo com aquilo que é profano. Não se leva em conta que os espinhos precisam ser retirados para a planta crescer e se tornar frutífera. Santificação é algo imperioso na vida do crente. Ser evangélico sem santificação, conviver com o pecado sob a justificativa de que estamos todos debaixo da graça: isso é o engano dos espinhos que crescem junto com a planta. Assim é a obra do homem em oposição à Obra de Deus.

ESTRUTURA DE FÉ NA FIGURA DA: BOA TERRA = ACEITAÇÃO DA OBRA DE DEUS.
Mateus 13:8 – (JFA-ERC-1995)
“E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta”"
Mateus 13:23 – (JFA-ERC-1995)
“mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro, sessenta, e outro, trinta.”
A semeadura na boa terra a colheita produziu o suficiente para suprir a falta existente nas terras que se opuseram à semeadura. Ainda que um produzisse trinta, outro sesssenta e outro cem, mas todos deram frutos.

APLICAÇÃO PROFÉTICA
A Palavra é para ser ouvida e compreendida (vs. 23), ou seja, discernida e revelada, pois sem isso não haverá colheita de frutos, e, para isso, é necessária a ação do Espírito Santo. A boa terra é o coração do crente que ouve o que o Espirito diz à igreja, ou seja, aquilo que o Espirito Santo revela. Somente assim os frutos são produzidos com abundância. Todos dão frutos, pois na boa terra, que é a Obra de Deus, todos têmouvidos para ouvir.
UMA TAREFA:
Descobrir no Capítulo 13 DE MATEUS, as caracteristica da Boa Terra:
No verso 9: Ter ouvidos para ouvir
No verso 11: Conhecer os mistérios do reino dos céus
No verso 16: Bem aventurança para os olhos que veem e para os ouvidos que ouvem.
No verso 51: O entendimento claro de todas estas coisas

 

SUGESTÕES DE MENSAGENS
1ª. SUGESTÃO
Mar 4:26  E dizia: O Reino de Deus é assim como se um homem (O PAI) lançasse semente à terra, ESSA SEMENTE É JESUS
Mar 4:27  e dormisse (SUA MORTE), e se levantasse de noite ou de dia SUA RESSURREIÇÃO, e a semente brotasse e crescesse (ACEITAR A JESUS NO CORAÇÃO) , não sabendo ele como (A SALVAÇÃO É UM MISTÉRIO QUE SÓ É ENTENDIDO PELA REVELAÇÃO DO ESPIRITO SANTO).
Mar 4:28  Porque a terra por si mesma frutifica; primeiro, a erva, depois, a espiga, e, por último, o grão cheio na espiga. (PROCESSO DE CRESCIMENTO ESPIRITUAL)
Mar 4:29  E, quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa. (O ARREBATAMENTO).

2ª. SUGESTÃO

II Cor. 9:10 – “Ora, aquele que dá a semente ao que semeia e pão para comer também multiplicará a vossa sementeira e aumentará os frutos da vossa justiça”;

Aquele que dá a semente: O Pai que nos deu Jesus
Dá semente ao que semeia: Anunciar a Jesus é a principal mensagem da igreja.
O Pão para comer: a Palavra do Senhor como alimento para a alma
Multiplicar a sementeira: as muitas revelações sobre a salvação no Senhor Jesus
Aumentar os frutos da justiça: os resultados da salvação que são vidas alcançadas

3ª. SUGESTÃO

Isaias 55:10-11 – “Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus  e para lá não tornam, mas regam a terra e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes, fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.

Descem a chuva e a neve dos céus: a palavra que sai da boca do Senhor como o refrigério da chuva e da neve. A salvação vem do alto.
Para lá não tornam: o Senhor não toma de volta aquilo que ele nos dá. Não volta vazia porque ele produz os resultados desejados pelo Senhor;
Regam a terra: a Palavra de Deus prepara o nosso coração para receber a salvação do Senhor;
Fazem produzir, e brotar: quando germina no nosso coração a benção do Senhor faz brotar em nós uma nova forma de vida.
Dar semente ao semeador: os salvos pelo Senhor Jesus são capazes de produzir outras conversões. Não volta vazia para o Senhor
Pão ao que come: Jesus como o alimento, o pão da vida. A palavra prospera porque o objetivo para o qual ela foi enviada é para que a mesa do salvo seja farta do Pão da Vida.

Top
Leia o post anterior:
Estudos Bíblicos da Semana – 05/08/2013

Estudo Bíblico para Senhoras ASSUNTO: A herança profética TEXTO FUNDAMENTAL: Gênesis cap. 27 ESTUDO PARA O DIA 14 DE AGOSTO...

Fechar